O poder da Culinaria Viva – The power of Raw Food

Power of Raw Food

O poder da Culinaria Viva “Raw Food”.

A culinária viva ainda é um mito para muitas pessoas. Já ouvi de tudo, até se são bichos vivos! Na culinária Viva os alimentos são usados em sua forma mais natural, crus, germinados, fermentados, sempre evitando o aquecimento e preservando as enzimas.

Os sucos de frutas, smoothies, saladas, frutas, oleaginosas, sementes, azeites e gorduras prensadas a frio, melado, são alimentos usados na culinária Viva. Quero levar vocês um passo adiante – usar super foods – alimentos que melhoram a saúde e a disposição, usar brotos e germinados. Aprender a usar leites de oleaginosas e queijos vegetais. Garanto que você conseguirá inserir muitas novidades no seu dia a dia sem abandonar completamente seus hábitos e prazeres. Com a culinária Viva perdemos o peso desnecessário e melhoramos a imunidade e estado geral de saúde. A chave do bem estar está no equilíbrio!

Este é um Super Food Smoothie que substitui uma refeição ou pode ser usado no lanche

Bata no liquidificador:

– 1/3 avocado

– 1 punhado de coentro orgânic

– 1 pedaço de gengibre

– 1 colher de chá de curcuma

– 1 xícara de couve sem o talo orgânica picada

– 1 colher de chá de maca em pó

– 1 colher de chá de camu camu

– 2 tabletes de spirulina @puravida.com.br

– 2 tabletes de clorella @puravida.com.br

– 1 scoop de proteína de arroz @sunwarriorbrasil ou @puravida.com.br (opcional)

– stevia a gosto

——————————————————————————————————-

The power of Raw Food

Raw Food is still a myth to most people. I heard a lot of funny questions about it all the time – “Do you eat live animals?”. In Raw Food we use the ingredients in its purest form – natural, raw, sprouted, fermented, always avoiding heating to preserve the natural enzymes present in raw foods.

Fruit juices, smoothies, salads, fruits , seeds, nuts, pressed oils, molasses are some of the foods used in Raw Food. I want to take you a step further, using super foods – special ingredients that concentrate a lot of power in small quantities, teach you about using vegetable milks, cheeses, sprouts, fermented foods. I guarantee you that you will be able to add a lot of new foods in your daily routine without leaving most of your habits and pleasure. Using Raw Food principles we loose unecessary weight and improve immunity and our health. The key to well being is balance!

This is a Super Foods Smoothie excellent to replace a meal or as a snack

Blend

– 1/3 avocado

– a bunch of organic cilantro

– 1 cup kale or collard leaves

– 1 tsp maca

– 1 tsp camu camu

– 1 tsp siprulina

– 1 tsp clorella

– 1 tsp turmeric

– 1 piece ginger

– 1 scoop @sunwarrior (optional)

– stevia to taste

Raw Food – Entenda melhor esta maravilhosa linha de alimentação – Parte 1

O que é alimentação Viva ou RAW Food

“Raw Food Diet” é uma dieta baseada no uso de alimentos não animais provenientes do solo como vegetais, sementes, nozes e também provenientes das águas como as algas, espirulina, clorela. É um sistema de alimentação repleto de nutrientes que fornecem tudo que precisamos para viver – proteína, cálcio, anti oxidantes e gorduras essenciais que propiciam uma vida saudável.

Qual a origem da Alimentação Viva

Baseado no site Purely Raw, onde encontrei a melhor história descrevendo a Origem da Alimentação Viva.

“A Alimentação Viva ou Raw Food é a mais nova moda em termos de dieta e na verdade, não existe nada mais antigo que ela. Os seres humanos começaram a se alimentar somente de comida crua. Nós começamos a cozinhar somente após termos aprendido a usar o fogo.

Na Grécia Antiga, Pitágoras fundou uma escola filosófica e religiosa cujo círculo íntimo era conhecido como “Matematikoi, e todos precisavam ser vegetarianos. Um dos estudantes lá era Hipócrates, considerado o pai de medicina. Era famoso pela frase “Deixe o alimento ser seu medicamento”. Acredita-se que ambos se alimentavam principalmente de comida vegana.

Em 1966, A. Honvannessian publicou “Raw Eating” no Irã. Ele curou um filho doente com a comida Viva. Eles se alimentaram de comida crua intuitivamente sem qualquer suporte ou informação. E seu livro gerou polêmica ao afirmar que a Alimentação Viva é a dieta ideal para todos os seres humanos, afirmando que o nosso maior problema de saúde é a comida cozida.

Na America, Viktoras Kulvinskas publicou “Sobrevivendo no século 21, o primeiro livro de Comida Viva ocidental. Devagar, a Comida Viva. Lentamente Raw Food começou a ser difundido.

Outros livros foram lançados, como “The New Raw Energy” de Leslie Kenton, publicado em 1984, foi lido por muitos. Outros curadores de raw food como Max Genson também começaram a curar câncer com comida fresca e sucos de vegetais.

Mas nesta época Raw Food se restringia a saladas, brotos e suco de grama do trigo. O que o movimento precisava era de algum glamour sabor e fator surpresa.

Alguns chefes de comida Raw surgiram, Juliano, o primeiro chef gourmet que abriu o restaurante Raw em Los Angeles e Cherie Soria que fundou a primeira escola de Raw Food Gourmet, o Living Light Institute. O movimento atraiu vários superstars e começou a atrair a mídia.

Vários profissionais de renome como David Wolf, Dr. Gabriel Cousens adotaram esta dieta para seus pacientes.

No Brasil a cozinha Raw ainda é mais próxima do higienismo (dos brotos, alguns desidratados, sucos e pates). O Dr Alberto Peribanez Gonzales é o autor do único livro escrito no Brasil sobre o assunto “Lugar de médico é na cozinha”.

Quais são os princípios da alimentação Viva?

A comida Viva contém enzimas vivas que ajudam na digestão e são ativadas assim que digeridas. Aquecer a comida a uma temperatura a mais de 45° C (alguns dizem 42º, outros 48º) causa a destruição destas enzimas e também de nutrientes, e vitaminas. Como as enzimas são destruídas nosso corpo passa a usar ou produzir suas próprias enzimas para digerir a comida cozida. É um sistema considerado ineficiente pelos especialistas em alimentação viva. Um dos maiores especialistas do mundo em Raw Food, o Dr Gabriel Cousens, explica “Nossa reserva de enzimas diminui com o passar da idade, a nossa capacidade de manter o corpo saudável também diminui O envelhecimento ocorre quando a concentração de enzimas diminui.” O Dr. Edward Howell especialista no estudo de enzimas presentes nos alimentos, e Ann Wigmore, especialista em Comida Viva, concordam que a chave secreta para a longevidade é a preservação das enzimas.

Quais os benefícios da alimentação Viva

– É uma dieta baseada em nutrientes e enzimas que melhoram o corpo como um todo devido ao seu alto poder alcalinizante.

– A ingestão de verduras e frutas na alimentação Viva é muito superior a na alimentação tradicional.

– As proteínas vegetais são mais saudáveis. O calor danifica as proteínas e a absorção dos amino ácidos

– A comida Viva é energizante – a maior parte das pessoas rapidamente sente um aumento de energia quando se alimenta desta forma. São alimentos mais fáceis de digerir que um prato de feijoada ou um steak com massa. É um tipo de alimentação cujos alimentos são menos densos que comidas processadas ou com alta concentração de amido. Além disto contem enzimas e catalisadores de proteína que ajudam a digestão por quebrar a comida em partes menores. Aí está novamente o fator de não necessitar que o corpo produza quantidade elevada de enzimas.

– A comida Viva é rica em fibras – ajudando na limpeza do trato digestivo. Muitos problemas simples como gases e inchaço podem ser derivados de uma digestão pobre.

– A comida Viva ajuda a melhorar a imunidade – muitas pessoas dizem ficar menos doentes depois de incorporar mais comida crua em suas dietas. É rica em vitaminas e minerais que aumentam a imunidade e também rica em poderosos antioxidantes.

– A comida Viva é hidratante – ajuda a combater o cansaço, a preguiça, e a fome falsa que pode ocorrer por falta de água no corpo.

Aumente a quantidade de alimentos crus na sua dieta e sinta os benefícios! Aguarde os próximos textos!

Tortinha de Manga no Voce Bonita

Queridos, finalmente estou conseguindo atualizar meu blog. Vários projetos simultâneos, as aulas que me tomam muito tempo para preparar. Mas vou me esforçar para manter tantas informações legais que tenho em dia para vocês.

Adoro frutas, acho uma benção da natureza e quer me deixar triste é fazer alguma dieta sem elas. Já fiz algumas, mas fruta para mim é como o sol, é vida.

Doces eu consigo ficar sem. Gosto mas não sofro quando tento evitar. Os meus fracos são – marrom glacê, macarrons, marzipan, um bom creme brulée e o meu mais tentador para mim – sorvetes. Depois de ter feito o curso de Raw Food comecei a olhá-las com outros olhos. São tão nutritivas que podem substituir uma refeição. E quando usam frutas ficam mais apetitosas.

Esta tortinha é rápida, prática e super funcional – saudável para o trato digestivo, usa psyllium uma fibra que ajuda na digestão (melhora o funcionamento do intestino) e ainda dá sensação de saciedade.

A receita é perfumada, aromática. Espero que gostem!

Tortinha Manga
Massa
2 ovos
3/4 xícara de farinha de coco
4 colheres de sopa de óleo de coco derretido
1 pitada de sal
1 colher de sopa açúcar mascavo ou stevia a gosto

Preparo da massa
1. Aqueça seu forno a 150º C
2. Pincele as formas (solta fundo) com óleo de coco
3. Em uma vasilha média peneire a farinha e o sal e o açúcar mascavo ou stevia
4. Em outra vasilha bata os ovos até espumarem. Adicionar a farinha de coco aos ovos e misturar bem até formar uma massa
5. Pressione a massa nas forminhas
6. Assar por 15 minutos em forno baixo. Deixar esfriar

Recheio de manga
Ingredientes
1 manga picada
1 colher de sopa de biomassa de banana verde
1 colher de sopa de psyllium
1/4 colher de chá de cardamomo
1 colher de chá de água de flor de laranjeira
açúcar mascavo ou stevia a gosto
1/2 xícara de água
mais água se necessário

Preparo
1. Colocar a água no liquidificador
2. Bater a manga, o psyllium, a biomassa, o cardamomo, a água de flor de laranjeira, o açúcar ou stevia

Programa Você Bonita – Bolo de Cenoura Raw

Um dia me apaixonei pela comida Raw. Foi assim de repente. Já tinha ouvido falar, lido algum artigo sobre o assunto, mas nunca havia realmente sentado, comprado um livro, pesquisado a fundo sobre este universo. As informações que tinha eram mais sobre a linha higienista, a tal Raw Food Gourmet era uma ilustre desconhecida. Estava no início do meu curso de chef de culinária tradicional francesa. O Deva Bandhu, proprietário do My Yoga a escola de yoga mais charmosa e gostosa de São Paulo me mostrou um livro lindo. O Raw do finado súper chef Charlie Trotter. Fiquei pasma! Com ingredientes crus eles criavam tantas coisas maravilhosas e apetitosas assim?

Screen Shot 2014-06-26 at 9.51.50 PM

 

E como várias das minhas curiosidades acabam se tornando estudos “profundos” fui buscar mais. Comprei duas dezenas de livros (minha perdição)… Mais tantos outros no Kindle (outra perdição) e fui mais fundo ainda. Viajei para a California, a meca do Raw Food e lá fiquei estudando e aprendendo.

Vários conceitos incríveis, mas sentia muito frio comendo só Raw. Apelava para sopas veganas e chá, já que café virou um mimo infrequente para mim.

Tentei ficar só vegana por alguns meses, mas acabei voltando ao meu ótimo – uma dieta como dizem os americanos “Flexitarian”. Uso muito comidas veganas, Raw Food, mas como uma vez por dia ou ovos, ou queijo de búfala, peixe em algumas refeições na semana, e frango vez ou outra. Não existe uma regra fixa mas é o que faz bem para mim, ajuda a minha tireóide a funcionar melhor e me fez melhorar uma candidíase sistêmica leve que estava difícil de ser curada veganamente. De resto conto com proteínas veganas em pó, tofu (este devo tomar cuidado pois não é o melhor amigo de quem tem problemas de tireóide), feijões, muita verdura escura e as proteínas que existem nas oleaginosas. No verão me alimento bastante de comidas Raw, saladas, wraps, sopas cruas. E no dia a dia uso muito os sucos de centrífuga e smoothies recheados de Power Foods e verduras.

Aprendi que não existe uma meta em alimentação que não ouça o corpo, os hábitos, a ancestralidade. A bio individualidade de cada um é muito importante.

Trabalho com esta linha de alimentação – FLEXITARIAN. Ensino receitas basicamente veganas e vegetarianas. Mas também ensino um peixinho em aulas gourmet.

No meu curso de coaching aprendemos sobre várias linhas de alimentação e dieta. E todos parecem ter razão! Muitas vezes me senti confusa pois a dieta Paleo faz sentido, a Raw também. E a dieta tradicional “Nourishing Traditions”? Comer bacon e víscera parece ter sua ciência também. Não existe dieta perfeita. Existe a dieta da Renata, a dieta do Pedro. Cada um tem necessidades e particularidades. A única meta comum é se alimentar com muitos vegetais, variados e usar um pouco dos outros grupos alimentares. Minha meta é saber usar com cada pessoa a dieta ideal para cada um e para cada condição de saúde.

E meu melhor conselho é “Ouça seu corpo, use alimentos de verdade, minimize industrializados, elimine os adoçantes artificiais e refrigerantes de sua vida. Procure ter uma rotina equilibrada para se alimentar”. Se precisar de orientação e redefinição do estilo de vida, a combinação de um Coach de Saúde e um Nutricionista é excelente. E uma refeição por semana coma o que tiver vontade, sendo bom ou não, apenas sente e aprecie.

E voltando ao Raw Food, uma das partes mais gostosas dele são as sobremesas. Ricas em gorduras do bem, frutas, anti oxidantes, são maravilhosas. Aí vem alguém e diz “São light?”. Nem sempre… mas garanto que 100 calorias de doces de Raw Food, são 1000 vezes melhores que 100 calorias de bolinho de chuva – com glúten, lactose, açúcar e ainda por cima frito. Todos temos discernimento suficiente para entender que não dá para comparar calorias de alimentos bons com calorias de alimentos ruins. Ao comer bem e nutrir o corpo você terá muito menos desejos por alimentos não saudáveis, sua saúde vai melhorar consideravelmente, e você vai ver a diferença de um alimento com alta densidade nutricional e um com baixa. A densidade nutricional é DN = Nutrientes/Calorias. Quanto mais alta a densidade, melhor o alimento para a saúde.

Em 16 de maio fui ao programa Você Bonita na TV Gazeta da linda Carol Minhoto preparar uma receita apaixonante, fresca e doce ao mesmo tempo, aromática e nutritiva. Rica em ômega-3, anti inflamatórios como gengibre, limão. Além de tudo é livre de açúcar branco, sem glúten, sem lactose, sem farinhas de qualquer tipo. Aproveite esta linda receita!

Bolo de Cenoura da Chef Renata Rea – Culinária Viva
Bolo
2 1/2 xícaras de cenoura ralada
1 xícara de nozes
1 xícara de tâmaras picadas
1/2 xícara de coco ralado
1 colher de chá de canela
1/2 colher de chá de cardamomo em pó
1 pitada de noz moscada ralada
1 pitada de sal rosa

Cobertura
1 xícara de castanha de caju deixada de molho por no mínimo 4 horas
1/4 xícara de água
3 colheres de sopa de mel
1/4 xícara de óleo de coco derretido
1 colher de chá de baunilha
suco de 1 limão siciliano
suco de 1/2 limão tahiti
pitada de gengibre fresco ralado
pitada de sal

nozes e canela para finalizar

Preparo
1. Em uma forma quadrada ou de bolo inglês, coloque papel manteiga deixando sobra dos lados.
2. Em um processador misture as nozes e as tâmaras até que estejam macias mas ainda com alguns pedacinhos.
3. Adicione o coco ralado, especiarias, sal e processe mais um pouco.
4. Adicione as cenouras e bata até que a massa esteja bem misturada.
5. Coloque na forma preparada alisando o topo e leve a geladeira.
6. Para preparar a cobertura de castanhas descarte a água do molho, lave-as e escorra.
7. Em um liquidificador misture a água, o mel, o suco de limão, a baunilha, as castanhas, o gengibre, o sal.
8. Bata raspando dos lados até que esteja muito macio. Isto pode levar até 10 minutos dependendo da potência do seu liquidificador.
9. Adicione o óleo de coco e misture mais um pouco até que fique uniforme.
10. Espalhe sobre o bolo de cenoura já gelado e alise a parte de cima.
11. Deixe gelar por 2 horas.
12. Tire da geladeira e retire da forma puxando pelos lados.
13. Deixe descansar por 10 minutos.
14. Com uma faca embebida em água quente e seca, corte em pedaços quadrados ou retangulares.
15. Decore com a canela e as nozes.
16. Deixe descansar por mais 10 a 15 minutos, ou volte para o freezer e retire 30 minutos antes de comer.

A escola de culinária

Um encontro feliz na aula de ballet. Eu e Daniella nos conhecemos na aula de Ballet Fitness. Eu chef de cozinha natural, ela nutricionista funcional. O papo sempre fluía e a gente ficava com aquele gostinho de quero mais conversa, quero trocar mais informações. Nossa linha é bem natural, livre de industrializados, com poucos laticínios, poucas carnes. Comida de verdade que nutre e dá energia.

Um dia a Dani me diz que quer abrir uma escola de culinária saudável na sala ao lado do consultório que tem nos Jardins. Depois de muitas conversas me chamou para coordenar o espaço.

O Espaço ficou lindo! Temos 6 estações para cozinhar em dupla, são até 12 alunos por aula.

As modalidades de aulas são as mais diversas, sempre aulas saudáveis, saborosas!

Além das minhas aulas, temos o super Chef Edu Azevedo que trabalhou no Due Cocchi, Attimo, Ostradamus em Florianópolis, a maravilhosa Chef Mariana Amorim, pós graduada em padrões gastronômicos franceses pelo Institut Paul Bocuse e em pâtisserie francesa com o campeão mundial de pâtisserie Jerome Langillier e chef sorveteira pela escola Le Nôtre. Primeira brasileira a receber o título de Discíple d’Escoffier. Time muito competente e com ótima didática!

Temos aulas de Detox, Raw Food, a culinária que deu origem ao Detox, Capacitação de Cozinheiras Domésticas em Alimentação Natural, Culinária Francesa Saudável, Princípios de Alimentação Natural, Confeitaria do Bem que tem pães, tortas, bolos e doces com ingredientes saudáveis, Culinária Thai e Árabe Funcional, Aula de Culinária Saudável para crianças, Aulas com a Biomassa de Banana Verde e muito mais!

Em breve teremos alguns professores convidados como o Fernando Salla, chef que já trabalhou no Dom, Le Jazz entre outros. Ele vai ministrar as aulas de Gastronomia Contemporânea Saudável.

Para maiores informações entre no Espaço Gourmet Nutrição e Ação. Espero vocês para uma aula!

 

IMG_4376 IMG_4381
IMG_4572

IMG_4699 IMG_4796 IMG_4832

Fotos Fernanda Ghitnic

Fotos Fernanda Ghitnic

 

 

 

 

Sopas frias no programa Você Bonita

Uma das comidas mais gostosas, mais reconfortantes que existem são as sopas. Cremosas, facilitam a digestão, podem aquecer ou refrescar. Aqui em casa todo dia tem sopa, fria, quente, algo para começar a refeição com graça e muitos nutrientes.

O calor já estava forte em novembro, e quando fui chamada para o programa da Carol Minhoto novamente, pensei em sopas frias com personalidade para tornar as refeições de verão gostosas e marcantes.

A sopa thai é uma releitura da Tom Kha Gai, uma sopa típica tailandesa que leva frango. A nossa é vegana, não tem nada animal. Não deixa de ser deliciosa por isto. A de papaia é outra releitura, do livro The Raw Food Revolution de Cherie Soria, a fundadora do Living Light Culinary Institute onde fiz meu curso inicial de Raw Food.  O gazpacho é uma sopa tradicional espanhola, aqui numa versão bem leve. Todas estas sopas são rápidas de fazer. Não tem desculpa para comer mal! Basta ter um liquidificador e 10 minutos para ter uma sopa aromática pronta para ser degustada!

SOPAS FRIAS NO VOCE BONITA

Screen Shot 2014-01-22 at 12.48.03 PM

Sopa Thai

Ingredientes

500 ml de leite de coco

200 ml de água

1 xícara de capim santo fresco picado

2 colher de sopa de coentro sem o talo

2 dentes de alho

1/2 colher de cha de pimenta caiena

1/2 xicara de limao espremido

1/2 colher de chá de raspa de limao

2 colheres de sopa rasa de gengibre picado

1 colher de sopa de mel ou agave (vende no Santa Luzia, Mundo Verde use pras crianças no lugar de açúcar nos bolos, doces, etc)

1/2 pimenta dedo de moça picada para a sopa

1/2 pimenta dedo de moça e manjericão pequeno ou rasgado para decorar

acertar o sal marinho e a pimenta

Preparo

1) Bater tudo e coar de preferência num pano. Colocar na geladeira. Pode servir em copinhos, fica linda!

2) no final acrescentar nos copinhos um teco de cada – pimenta dedo de moça picada e manjericão pequeno ou rasgado.

Sopa de Papaia

Preparo

2 1/2 xicaras de papaia picados

1 xícara de água

1/4 xicara de suco de laranja

1 colher de sopa de limão

1 colher de sopa de missô

1/2 colher de chá de cominho

1 pitada de pimenta caiena

sal a gosto

1/2 xícara de coentro picado

Preparo

1) Bater todos ingredientes menos o coentro no liquidificador

2) Servir a sopa imediatamente com coentro picado por cima

GAZPACHO

4 tomates em cubos

1 pepino sem casca em cubos

1/3 de xícara de manjericão

1/2 limão

1 dente de alho

1/2 colher de chá de sal marinho ou rosa

opcional – de 1/4 a 1/2 avocado

1/2 xícara de água

2 colheres de sopa de azeite de oliva

pimenta a gosto

água suficiente para dar a textura desejada

 Preparo

1) Bater tudo no liquidificador. (se desejar deixe o pepino em cubos e adicione ao servir).

2) Ajustar a água conforme a textura desejada. O avocado dá cremosidade a sopa, mas pode ser omitido.

3) Ajustar sal e se desejar pimenta do reino.

Leite de Aveia e Smoothie Rosa

Sabor doce de infância, milk shake, ice cream soda, vitamina com sorvete. Adorava ir ao Frevinho na Oscar Freire e me deliciar com um destes drinks a base de sorvete. Isto depois de ter jogado handball, basquete ou futebol por mais de 45 minutos e ter encarado umas 2 horas e meia de ballet na Joyce ou no Stagium. Eu e minha amiga Carola íamos ao Frevo de vez em quando. E a gente ainda voltava para mais umas aulinhas de dança para fechar o dia. Ótimos tempos, onde os drinks de sorvete sumiam no corpo depois de tanta atividade física.

Vivemos num tempo de extrema consciência do que faz bem, do que faz mal. Gastamos mais tempo trabalhando e na frente do computador que fazendo exercícios e correndo… Sinal da idade, dos tempos, da vida.

E a onda de baixar a lactose chegou de vez. As indústrias estão cada vez mais produtivas, e o leite da vaca se parece cada dia menos com o leitinho da fazenda. Pobres vaquinhas, tem que dar tanto leite que vivem com inflamações, tomam antibióticos e a qualidade dos nossos alimentos vai ficando cada dia mais pobre, mais triste.

Não digo que todos precisam parar de consumir laticínios, mas que tal alternar com outros tipos de leites? Já dei esta receita de leite de sementes e oleaginosas aqui no blog e hoje vem uma receita do leite de aveia, ótima base para drinks saudáveis.

Leite de Aveia

1 xícara de aveia em flocos

3 xícaras de água

Preparo do leite

1) Deixar a aveia de molho em 1 xícara de água por algumas horas

2) Bater no liquidificador e coar em um pano de fralda.

E olha a delícia que vamos preparar com ele!

iphone9-13-1507

Smoothie cor de rosa

1 copo de leite de aveia

1/2 copo de morangos ou frutas vermelhas (pode usar polpa)

1 banana congelada por ao menos umas 3 horas picada

1 colher de sopa de chia ou linhaça triturada ou hemp seeds (semente de canhamo, se for aos EUA traga, são uma super food)

1 colher de sopa de mel (opcional)

Goji Berries para decorar

Preparo

1) Bater todos ingredientes e servir o seu delicioso drink!