Dieta Detox

A vida é engraçada… nos alimentamos não só de comida, mas de pensamentos, relacionamentos, trabalho e nosso dia a dia. Me peguei novamente com uma gastrite chata. Apesar da minha boa alimentação dou minhas escapadas e também vez ou outra fico ansiosa ou nervosa. E dá-lhe yoga e dança para acalmar os ânimos. A vida é movimento e sempre estamos sujeitos a intempéries e desentendimentos. Tentar minimizá-los é uma arte, e cá estamos para aprender a superar as pequenas dificuldades e encará-las da mesma forma que encaramos as alegrias – fontes de aprendizagem e momentos para refletirmos sobre nosso papel nesta Terra.

Resolvi tentar uma desintoxicação mais forte rápida. Acho que devemos viver em “detox” com uma alimentação predominantemente alcalina e vegetal, privilegiando os alimentos saudáveis e não agressivos. Mas vez ou outra, sem perceber, nos alimentamos mal em todos os sentidos – comemos sem ouvir nosso corpo, com pressa, mais do que precisamos. Deixamos pequenas chateações poluírem nossa mente, esperamos das pessoas o que elas não podem nos dar.

Você já deve ter ouvido muitas coisas sobre detox. Eu tive um primeiro contato sério com esta dieta ao fazer um curso com o Deva do My Yoga, ele e sua Nanda já se tornaram uma inspiração e dois gurus na minha vida. Os dois tem muito conhecimento e sabedoria sobre alimentação natural e como SUPERVIVER.

Muitos médicos defendem a ideia de que o corpo já realiza detox sozinho através do fígado e dos rins, mas não custa dar uma ajuda para ele já que temos tamanha exposição a substâncias nada naturais causando uma sobrecarga para o corpo.

No curso e nas minhas inúmeras pesquisas que seguiram aprendi o motivo real de fazer um DETOX:

– Vivemos com muitos poluentes e químicos a nossa volta – a desintoxicação limpa o intestino, eliminando estes metais pesados e os tantos produtos químicos a que estamos expostos

– A dieta ocidental é muito ácida, principalmente para quem come muita comida cozida, carnes, laticínios e gorduras nocivas. Limpar o corpo ajuda a melhorar o funcionamento de todos nossos órgãos.

– A cafeína, açúcar, farinhas refinadas, remédios e tabaco também geram toxinas no nosso corpo, ficar longe deles ajuda a reestabelecer os ritmos normais

– Diminuindo a toxidade do corpo melhoramos – movimentos intestinais, digestão, eliminação feita pelos rins, pele e até a respiração

– O detox trata doenças, descansa os órgãos, auxilia na perda de peso, reduz o processo de envelhecimento, melhora a percepção sensorial e até ajuda na busca espiritual

Existem inúmeras linhas de desintoxicação. Mas pense comigo, o que faz mais sentido? Alcalinizar o corpo, ingerir alimentos frescos e sem agrotóxicos, deixar tudo que for animal de lado. Não consigo entender os detox que vejo nas revistas que incluem pão, adoçantes (exceto a stevia), proteínas animais, iogurte, queijo branco… Para mim são muito fracos, pois continuam sobrecarregando a digestão e o intestino. O certo na minha opinião é dar um tempo mesmo, de tudo que for acidificante (post sobre isto está sendo preparado).

O meu detox rapido será feito desta forma, privilegiando os alimentos crus, com um pouco de vegetais cozidos

– 1º dia só de sucos preferencialmente na centrífuga. Feitos de vegetais e frutas não muito doces (banana, manga, coco, caqui, mamão). Usar pera, maça, cítricos, berries (morango, framboesa, blueberry), couve, espinafre, salsão, erva doce, pepino, abobrinha, cenoura, beterraba, gengibre, coentro, yacon. Pode ser na forma de sopa também com um teco de sal e psyllium, uma fibra excelente para auxiliar o intestino.

– Água e ou chás desintoxicantes como menta, dente de leão, alcaçuz, erva doce, camomila, são tantos… durante todo o dia para ir removendo as toxinas.

– 2º dia com suco de centrífuga ao acordar, 2 sucos de liquidificador (smoothies) durante o dia e sopas mais consistentes o almoço e no jantar, acrescentando uma fruta doce por dia dividida nos 2 smoothies e spirulina e chlorella nos smoothies além de um pó que trouxe dos Estados Unidos chamado Vitamineral Greens.

– 3º dia com sucos de frutas e um smoothie de manhã, um smoothie a tarde com uma dose de proteína vegetal em pó Sun Warrior (a venda no My Yoga), uma refeição com vegetais e legumes no vapor mais uma batata doce ou inhame com um fio de azeite e um pouco de gergelim branco em cima no almoço. Jantar com sopa crua com psyllium.

Screen Shot 2013-05-27 at 9.12.57 PM

– 4º dia com suco e smoothie de manhã e um almoço com saladas, avocado, molho com um pouco de óleo de gergelim, algas marinhas. A tarde uma fruta com chia ou linhaça. Jantar com sopa crua com psyllium e crackers de linhaça (receita em breve) ou a batata doce ou inhame com um fio azeite e gergelim branco em cima.

– 5º dia com o suco e o smoothie de manhã, uma boa salada com arroz integral com gomásio e legumes no vapor no almoço, fruta com linhaça ou chia a tarde. Já vou tomar meu café de cevada sem glúten com meu leitinho de amêndoas a tarde. A noite vou sair para jantar porque é sexta feira e vou privilegiar um peixinho com legumes ou se houver alguma opção vegana e sem glúten posso testar (chance bem pequena, os restaurantes não alcançaram este nível de refinamento ainda).

– Estou usando dois suplementos auxiliares para o detox Super Cleanse e Aloe Vera que auxiliam a limpar o intestino

– A pimenta caiena é considerada a pimenta do detox mas como estou com resquícios da minha gastrite não estou usando nenhuma pimenta esta semana

– Coentro é uma erva que ajuda a limpar os metais pesados do corpo, vale investir nele nos sucos e nas sopas

Dali em diante vou seguir evitando usar demais as proteínas animais, e tentando manter longe – álcool, açúcar e farinha refinados e gorduras ruins.

Perceberam que além do meu Vitamineral Greens que é natural mas em um pote de vidro e do SunWarrior que também é natural mas em um pacote, todos alimentos utilizados são frescos? Isto só pode fazer bem para seu corpo!

Para um detox mais radical pode-se estender o jejum do primeiro dia para 3 dias, o do segundo para mais 3. Mas no momento eu optei por começar assim.

E vou voltar a fazer um detox como o do terceiro dia toda semana, somente líquidos e vegetais no vapor com uma raiz como batata doce ou inhame no almoço e a sopa à noite.

E para ajudar, meditação, ao menos 10 minutos por dia, escovar o corpo com uma escova de cerdas naturais antes do banho e se conseguir um tempinho esta semana, vou fazer uma drenagem com sauna depois.

Rumo a saúde plena! É ela que queremos!!!

O freezer descongelado

Férias de julho, alguns dias no campo com uns amigos,  escola de férias uma semana, e agora casa da vovó que mora no campo. Resolvi despachar a turma toda e ficar sozinha em casa com o Marcelo por uns 2 dias. Afinal, fazer um café da manha, arrumar a cama, dar uma geral na casa não pode demorar tanto assim.

Segunda despachei a turma depois do almoço e fotos para que te quero, arrumando as do Maranhão, photoshop nas de um jantar delicioso de 40 anos, música baixa de fundo, nos quartos, silêncio total.

Na terça, uma certa correria para fazer o café da manha, dar uma geral no meu quarto e zarpar para comprar pedras, ouro para novas peças de jóias. Fiquei 5 horas no centro da cidade, almocei esfihas num boteco, andei debaixo de chuva, mas tudo com o maior bom humor.

Chego em casa, acerto umas coisas pro banco, vou até a porta da área de serviço e vejo um sangue escorrendo pela despensa… muito sangue… Meu Deus, o freezer descongelou! Será que quebrou? Ainda dá para salvar a carne? Tem carne para 2 meses lá… pânico total. Ok. Pense rápido. Limpei os dois freezers da cozinha, um de uma geladeira porta dupla e um da geladeira pequena. Queijo branco vencido, massa de pastel congelada… resto de sorvete, nossa quanta coisa vencida, que desperdício.

Segundo passo, transportar as carnes, frango e peixes ainda congelados para a cozinha. Que gelo!!! Preciso de luvas! E lá vou eu. Tudo transportado, sangue pelo caminho, cena com um quê de Almodovar. Tudo bem. Detalhe, eu quase não como carne, justamente porque tem tanto sangue, me lembra podridão e selvageria, só como happy Chicken (frango orgânico), e coisas do mar. Ok, eu ando num tremendo bom humor, passei uma semana viajando, tirando fotos, não vou perder a calma. Um pano de chão, mais um, três, quatro, e cinco… preciso de música. Ligo algo do Iphone e continuo, limpo bem o freezer da geladeira dupla, até lavo a parte debaixo, e guardo, carne, frango e peixe em prateleiras separadas. E aquele inferno de sangue, lavo os panos de chão, lavo a cozinha, limpo a área de serviço com sabão e depois com álcool.

Vejo o absurdo do estoque de comida que faço. Reflito sobre desperdício e tomo duas decisões, não preciso de freezer, moro nos Jardins, tenho mercados, açougues ao lado de casa, para quê esta mania de estocar? Ok, freezer vai embora. Vou comprar comida aos poucos, como os sábios europeus, tudo fresco e sem esta estúpida mania americana de congelar tudo. Segunda decisão, coleta seletiva de lixo. Já levo lixo para a escola separado, mas ainda não faço 100%. Vou convencer o marido e síndico a instituir no prédio.

Uma hora e quinze minutos depois, tudo limpo, guardado, a cozinha cheirosa, os panos de chão de molho, vejo como uma Polyana moderna a lição aprendida neste dia frio e tão vermelho. Menos é mais, e esta lição vai aos poucos se estendendo para todos os campos da minha vida… Menos ambição, menos desejo pelo material, mais espiritualidade, mais comunidade, mais coletivo.

Me sinto bem. As transformações acontecem gradualmente em minha vida, basta abrir os olhos e enxergar com a alma. Ela sim, sabe exatamente do que precisamos.