A escola de culinária

Um encontro feliz na aula de ballet. Eu e Daniella nos conhecemos na aula de Ballet Fitness. Eu chef de cozinha natural, ela nutricionista funcional. O papo sempre fluía e a gente ficava com aquele gostinho de quero mais conversa, quero trocar mais informações. Nossa linha é bem natural, livre de industrializados, com poucos laticínios, poucas carnes. Comida de verdade que nutre e dá energia.

Um dia a Dani me diz que quer abrir uma escola de culinária saudável na sala ao lado do consultório que tem nos Jardins. Depois de muitas conversas me chamou para coordenar o espaço.

O Espaço ficou lindo! Temos 6 estações para cozinhar em dupla, são até 12 alunos por aula.

As modalidades de aulas são as mais diversas, sempre aulas saudáveis, saborosas!

Além das minhas aulas, temos o super Chef Edu Azevedo que trabalhou no Due Cocchi, Attimo, Ostradamus em Florianópolis, a maravilhosa Chef Mariana Amorim, pós graduada em padrões gastronômicos franceses pelo Institut Paul Bocuse e em pâtisserie francesa com o campeão mundial de pâtisserie Jerome Langillier e chef sorveteira pela escola Le Nôtre. Primeira brasileira a receber o título de Discíple d’Escoffier. Time muito competente e com ótima didática!

Temos aulas de Detox, Raw Food, a culinária que deu origem ao Detox, Capacitação de Cozinheiras Domésticas em Alimentação Natural, Culinária Francesa Saudável, Princípios de Alimentação Natural, Confeitaria do Bem que tem pães, tortas, bolos e doces com ingredientes saudáveis, Culinária Thai e Árabe Funcional, Aula de Culinária Saudável para crianças, Aulas com a Biomassa de Banana Verde e muito mais!

Em breve teremos alguns professores convidados como o Fernando Salla, chef que já trabalhou no Dom, Le Jazz entre outros. Ele vai ministrar as aulas de Gastronomia Contemporânea Saudável.

Para maiores informações entre no Espaço Gourmet Nutrição e Ação. Espero vocês para uma aula!

 

IMG_4376 IMG_4381
IMG_4572

IMG_4699 IMG_4796 IMG_4832

Fotos Fernanda Ghitnic

Fotos Fernanda Ghitnic

 

 

 

 

Chef Renata Rea no programa Voce Bonita 08/04/2013

Mais uma participação no Voce Bonita com a linda Marisy. Esta sopa é muito perfumada, e o pudim de chia uma receita prática e nutritiva.

Link SOPA DE PIMENTÃO DE OUTONO E PUDIM VIVO DE CHIA COM FRAMBOESAS

Voce Bonita

 

Tenho um carinho mais do que especial por esta Sopa. Criei esta receita no meu curso de Raw Food na California, foi um enorme sucesso entre alunos e professores. Exótica, com aromas das Arábias, fecho os olhos e penso em uma noite com música, cores e dança. Espero que gostem!

SOPA VIVA DE OUTONO DE PIMENTÃO COLORIDO

Rende aproximadamente 4 xícaras

 

Ingredientes

1 xícara de leite de coco light

1/2 xícara água

1/2 xícara de castanha de caju crua (hidratada por 2 horas – opcional)

3 xícaras de pimentão picado amarelo, laranja ou vermelho (retirar a parte branca e sementes)

3 xícaras de abobrinha sem pele picada

1 colher de chá de limão

1/4 colher de chá alho picado

1/4 colher de chá de gengibre ralado

1 colher de chá de mel

1 colher de chá de tahini

1 1/2 colher de chá cheia de sal do himalaia

1/2 colher de café rasa de cardamomo

1/2 colher de café rasa de canela

1/2 colher de café rasa de curcuma

1/2 colher de café rasa de pimenta caiena

1 colher de chá de manjericão

1 colher de chá de manjericão picado para finalizar

 

Modo de Preparo

1. Coloque no liquidificador primeiro o leite de coco e água.

2. Coloque a castanha de caju e bata até a mistura ficar homogênea.

3. Coloque o pimentão picado, a abobrinha e bata novamente

4. Adicione todos os temperos menos o manjericão e bata mais uma vez até ficar homogênea.

5. Coloque o manjericão e bata por 5 segundos ou pulse algumas vezes.

6. Coe em uma peneira.

7. Para servir use a criatividade, copinhos, xícaras, ou o tradicional prato furndo.

8. Salpique o manjericão em cada prato.

 

 

A eterna menina

Minhas amigas, amadíssimas, queridíssimas, motivos de alegria, prece e certamente parte muito importante de minha vida.

Hoje é aniversário de uma eterna menina, a linda, maravilhosa, puríssima Eloisa. Nos conhecemos na casa de um amigo em comum. Ela com seu namorado, eu com o meu, eu tinha 19 anos e ela 17. Foi empatia a primeira vista. Nos víamos na faculdade, eu cursava administraçao, ela publicidade. Começamos com almoços fora, e a amizade foi crescendo. Os namoros terminaram, e nós nos unimos muito. Choramos mágoas juntas, curtimos vários momentos.

Faz 18 anos que nos conhecemos… quanto tempo. E de todas amizades que ficaram, a nossa é muito verdadeira, muito linda. Nunca estudamos na mesma classe, nunca fizemos aula de nada juntas, só nos conhecemos e nos identificamos. Duas românticas, batalhadoras, guerreiras com um sonho de encontrar um amor, formar uma família e ser feliz.

Ela é doce, doce, doce… Meus filhos são encantados por ela, adoro tê-la em casa e ver como eles AMAM a tia Elo. Sinto uma ternura imensa em lembrar de como ela é ingênua e boníssima. Uma alma velha, vinda ao mundo para semear amor, certamente.

Fomos madrinhas de casamento uma da outra, acompanhei todas suas histórias. Muito feliz foi o dia em que ela me apresentou seu namorado, hoje marido, no Almanara. Rapido rapido eles se casaram. Tudo de repente… Hoje estão muito bem, muito felizes, de casa nova! E vão ter uma linda família, uma linda história, e eu vou assistir e participar de vários momentos em que ela vai sorrir, vai ser muito amada, como sempre mereceu!

Amo muito esta moça, e sei que ela é sempre um presente de Deus na minha vida!

Parabéns a linda e amada Maria Eloisa!

A fada madrinha

A vida me presenteou com muitos amigos e pessoas especiais, queridas. Hoje é aniversário de uma delas. A fada madrinha.

Nos conhecemos na escola, aos 11 anos de idade. Ela toda alta, sempre elegante, de cabelos cacheados, veio para fazer ginásio e colegial no São Luís. Boa no basquete, sempre gostou de música, sabia todas as letras de cor.

Nunca fomos da mesma classe, e para falar a verdade, não me lembro como nos aproximamos, mas aos 15 anos, ela se tornou uma de minhas melhores amigas. Lá se vão 18 anos e nós jamais nos afastamos.

A fada madrinha usou sua varinha já no início de nossa amizade, quando eu havia acabado um namoro de pouco mais de um ano, o primeiro grande amor, a primeira relação. Eu no auge de meus 15 anos, toda adolescente, terminei e quando quis voltar, ele não voltou!!! O primeiro grande não da minha vida. E ela estava lá, me consolando, me amparando, com seu jeito carinhoso e sensível.

Passamos por muitas histórias juntas. Confidentes eternas, ela é uma das pessoas que mais conhece minha alma. E eu certamente a sua.

No 3º colegial, eu estava indo muito mal de física. Fada madrinha começou a estudar comigo, ela sabia me fazer entender o que o professor Fred não conseguia – bingo – as notas dispararam, de notas vermelhas (bem vermelhas mesmo), passei a tirar, 7s, 8s e até um 9!

Eu sempre mais preocupada com os namoros que com os estudos, chorei muito no ombro dela, que esperta só foi namorar sério na faculdade. Eu lá, sempre escrevendo poesias de amor, sofrendo, ela prestava atenção na aula e  me ajudou a estudar várias vezes. Me ensinou a derreter queijo muzzarela no microondas e a fazer um belo brigadeiro de panela. Acompanhei sua irmã temporã nascer. Conheci suas casas, acompanhei suas mudanças e ela as minhas. Fada madrinha foi muito comigo para o sítio e para o Guarujá.

Por influência dela resolvi fazer administração e trabalhar em banco “Renatinha, lá você vai conhecer muitas pessoas inteligentes, vai ter uma carreira muito legal”. Pois é, eu desisti total desta área, mas foi muito interessante mesmo, já que assim consegui realizar o sonho de morar fora do Brasil – mandada pelo banco, me mudei para NY por um ano, aprendi muito. Conheci meu marido. Sempre que voltava, nos víamos e colocávamos os assuntos em dia.

Ela sempre inteligentíssima entrou no vestibular da GV sem cursinho… Depois conseguiu ótimos empregos.

Já adultas, nos casamos com menos de um ano de diferença. Fomos madrinhas uma da outra, ela bravíssima pois eu a coloquei junto com outra amiga minha, “Renatinha, com outra mulher não dá”.

Seu primeiro filho nasceu, depois a segunda, e eu acompanhando estas crianças tão queridas crescendo. Depois vieram os meus. Quando descobri que estava grávida da Vicky, fada madrinha mandou as roupas de sua filha para a minha. E até hoje manda, cuida, se preocupa. Um gesto de amizade lindo.

Sei que nossa amizade é singular. Não temos mascaras uma com a outra, falamos o que não podemos falar para outras amigas. Ela me dissuadiu de fazer faculdade de nutrição há uns quatro anos. “Renatinha, como você quer trabalhar com fotos, jóias, cuidar da Vicky, engravidar e fazer faculdade das 7 da manhã a 1 da tarde na Pompéia? Não vai dar tempo”. Chorei por uma hora, vi que ela estava certa e no dia seguinte fui cancelar a matrícula.

Passamos boas férias juntas na sua linda casa de praia. Conversamos tanto, o assunto nunca acaba. Rimos muito, consolamos uma a outra quando a tristeza bate. Papos no telefone quando as crianças já foram dormir… almoços no Mani. Como é bom estar com ela.

Fada madrinha sempre generosa, canceriana até o último fio de cabelo, cuida de tantas pessoas, marido, filhos, família, amigas,  consegue ser atenciosa, carinhosa e oferecer seu ombro amigo mesmo passando boa parte do tempo a viajar pelo mundo.

Hoje ela faz aniversário. Está longe… mas sempre tão perto. Linda por dentro e por fora, espero que ela seja sempre feliz. Espero com a minha varinha de condão, um pouco mais desajeitada e passional que a dela, conseguir jogar estrelinhas em seu coração quando ela precisar.

Amo você amiga querida!!! Parabéns! E deixa eu acabar logo o texto, preciso ligar para você antes que seja tarde demais no outro lado do mundo.