Parabéns Vovó Odette

Hoje dia 22 de agosto, é o aniversário de minha avó Odette. Não nos conhecemos, ela partiu quando minha mãe tinha apenas 12 anos.

Sempre ouvi muitas histórias sobre ela. Minha mãe jamais deixou sua memória morrer e desde pequena ouvia sobre seu caráter, seus gostos, sua personalidade.

No meu imaginário, consegui dar aquelas antigas fotografias de uma mulher branca, de expressivos e profundos olhos escuros, e porte elegante, uma voz, um jeito. Fecho os olhos, e imagino suas mãos carinhosas a me afagar, ouço sua voz a dizer “ minha neta”, imagino um perfume de flores e aí está a minha avó.

Me lembro entao da minha mãe dizendo que ela alimentava um senhor doente que morava perto de sua casa, e que lhe dava comida na boca. Quanta nobreza, humildade e humanidade.

Dizem que os bons partem mais cedo, não sei se concordo, mas no caso dela, parecia um anjo com algumas tarefas a cumprir e sem tempo de sobra para ficar por aqui.

Ouço seus passos no casarão da Rua da Consolação.  Posso vê-la sentada diante ao meu padrinho Francisco, pensando em apresentá-lo a irmã então separada, minha madrinha Ivone.

Imagino sua alegria junto aos filhos Roberto, meu tio, e Vera minha mãe, uma bebê linda e gorduchinha.

Sinto pena por não ter tido o privilégio de sua companhia, mas me contento em saber que durante os poucos anos em que esteve presente na vida de minha mãe, ela lhe deu o amor, o carinho e os valores que a tornaram o ser humano digno que me gerou, me criou e me acompanha desde que nasci. E confirmo o que sempre penso, uma boa mãe, nos primeiros anos de vida, forma o caráter de um ser humano, lhe dá retidão, força. Vejo isto na minha mãe e no meu tio. Eles sofreram longe de sua mãe querida, mas se tornaram pais maravilhosos.

Seu legado de amor, bondade, ternura se perpetuou em netos e bisnetos. E vejo especialmente em minha filha Victoria, com suas mãos carinhosas, sua voz forte, seu coração mais do que bondoso, especial, vejo você Dona Odette, sempre pronta para consolar, ajudar e amar.

Sinto tanto amor, tanto carinho por ela, acompanhados de uma inexplicável saudades. Saudades de seu colo, de suas comidas que jamais provei, de sua voz que jamais ouvi, somente imaginei. Sempre me lembrarei dela… sempre me sentirei parte dela.

Fica aqui minha singela homenagem, a esta mulher forte, mulher que sentia, cantava, dançava e amava. Feliz Aniversário, vovó Odette, um dia vamos nos reencontrar.

Vovó Odette, anjo que mora no céu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s