A fada madrinha

A vida me presenteou com muitos amigos e pessoas especiais, queridas. Hoje é aniversário de uma delas. A fada madrinha.

Nos conhecemos na escola, aos 11 anos de idade. Ela toda alta, sempre elegante, de cabelos cacheados, veio para fazer ginásio e colegial no São Luís. Boa no basquete, sempre gostou de música, sabia todas as letras de cor.

Nunca fomos da mesma classe, e para falar a verdade, não me lembro como nos aproximamos, mas aos 15 anos, ela se tornou uma de minhas melhores amigas. Lá se vão 18 anos e nós jamais nos afastamos.

A fada madrinha usou sua varinha já no início de nossa amizade, quando eu havia acabado um namoro de pouco mais de um ano, o primeiro grande amor, a primeira relação. Eu no auge de meus 15 anos, toda adolescente, terminei e quando quis voltar, ele não voltou!!! O primeiro grande não da minha vida. E ela estava lá, me consolando, me amparando, com seu jeito carinhoso e sensível.

Passamos por muitas histórias juntas. Confidentes eternas, ela é uma das pessoas que mais conhece minha alma. E eu certamente a sua.

No 3º colegial, eu estava indo muito mal de física. Fada madrinha começou a estudar comigo, ela sabia me fazer entender o que o professor Fred não conseguia – bingo – as notas dispararam, de notas vermelhas (bem vermelhas mesmo), passei a tirar, 7s, 8s e até um 9!

Eu sempre mais preocupada com os namoros que com os estudos, chorei muito no ombro dela, que esperta só foi namorar sério na faculdade. Eu lá, sempre escrevendo poesias de amor, sofrendo, ela prestava atenção na aula e  me ajudou a estudar várias vezes. Me ensinou a derreter queijo muzzarela no microondas e a fazer um belo brigadeiro de panela. Acompanhei sua irmã temporã nascer. Conheci suas casas, acompanhei suas mudanças e ela as minhas. Fada madrinha foi muito comigo para o sítio e para o Guarujá.

Por influência dela resolvi fazer administração e trabalhar em banco “Renatinha, lá você vai conhecer muitas pessoas inteligentes, vai ter uma carreira muito legal”. Pois é, eu desisti total desta área, mas foi muito interessante mesmo, já que assim consegui realizar o sonho de morar fora do Brasil – mandada pelo banco, me mudei para NY por um ano, aprendi muito. Conheci meu marido. Sempre que voltava, nos víamos e colocávamos os assuntos em dia.

Ela sempre inteligentíssima entrou no vestibular da GV sem cursinho… Depois conseguiu ótimos empregos.

Já adultas, nos casamos com menos de um ano de diferença. Fomos madrinhas uma da outra, ela bravíssima pois eu a coloquei junto com outra amiga minha, “Renatinha, com outra mulher não dá”.

Seu primeiro filho nasceu, depois a segunda, e eu acompanhando estas crianças tão queridas crescendo. Depois vieram os meus. Quando descobri que estava grávida da Vicky, fada madrinha mandou as roupas de sua filha para a minha. E até hoje manda, cuida, se preocupa. Um gesto de amizade lindo.

Sei que nossa amizade é singular. Não temos mascaras uma com a outra, falamos o que não podemos falar para outras amigas. Ela me dissuadiu de fazer faculdade de nutrição há uns quatro anos. “Renatinha, como você quer trabalhar com fotos, jóias, cuidar da Vicky, engravidar e fazer faculdade das 7 da manhã a 1 da tarde na Pompéia? Não vai dar tempo”. Chorei por uma hora, vi que ela estava certa e no dia seguinte fui cancelar a matrícula.

Passamos boas férias juntas na sua linda casa de praia. Conversamos tanto, o assunto nunca acaba. Rimos muito, consolamos uma a outra quando a tristeza bate. Papos no telefone quando as crianças já foram dormir… almoços no Mani. Como é bom estar com ela.

Fada madrinha sempre generosa, canceriana até o último fio de cabelo, cuida de tantas pessoas, marido, filhos, família, amigas,  consegue ser atenciosa, carinhosa e oferecer seu ombro amigo mesmo passando boa parte do tempo a viajar pelo mundo.

Hoje ela faz aniversário. Está longe… mas sempre tão perto. Linda por dentro e por fora, espero que ela seja sempre feliz. Espero com a minha varinha de condão, um pouco mais desajeitada e passional que a dela, conseguir jogar estrelinhas em seu coração quando ela precisar.

Amo você amiga querida!!! Parabéns! E deixa eu acabar logo o texto, preciso ligar para você antes que seja tarde demais no outro lado do mundo.

3 comentários sobre “A fada madrinha

  1. Luciana Senatore disse:

    Quero fazer por merecer um dia receber uma carta destas da minha melhor amiga. Que palavras lindas, parabens.

    • renatarea disse:

      Lu, tenho a sorte de ter algumas amigas muiiitooo especiais. Se a gente nao parar para dizer eu te amo para estas pessoas, o tempo vai passar e muito amor deixará de ser sentido por quem merece… Bjs

  2. Giuliana disse:

    Rê,

    Ela merece suas palavras… Canceriana MESMO até o último fio de cabelo!!!
    Além de tão atenciosa e carinhosa com todos… ainda agrega novos amigos com muito carinho também!!!
    Adorei suas palavras!!!
    Bjs, Giu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s